ÚLTIMAS NOTÍCIAS

Diabetes

Dicas

Bem estar

domingo, 22 de janeiro de 2017

4 maneiras de aliviar a dor da mandíbula


Articulação temporomandibular (ATM) ou distúrbios afetam mais de 10 milhões de americanos , de acordo com o Instituto Nacional de Pesquisa Dental e Craniofacial, e para aqueles cujos sintomas não são graves o suficiente para justificar a ação médica, pode ser uma doença dolorosa e irritante.

A articulação temporomandibular é essencialmente a articulação da mandíbula, e os sintomas dos indivíduos TMJ gama de irritar clicando sons quando abrir a boca para um full-on incapacidade de abrir a mandíbula. Se você tem TMJ e não tem planos para tomar medidas médicas, existem algumas medidas que você pode tomar em casa para ajudar a aliviar a tensão da mandíbula e reduzir a dor. Aqui estão algumas dicas e truques para quem sofre de ATM para tentar.

Aplicar gelo

Embora possa soar básico, o primeiro passo a tomar quando você está experimentando dor na mandíbula é aplicar gelo ou uma compressa fria. Isso irá reduzir o inchaço na articulação, aliviando assim algumas das dor e inflamação que está causando. Sua mandíbula é uma joint Assim como qualquer outro, se estivesse experimentando dor no joelho , você não iria hesitar em aplicar algo frio, não é?

Estique a mandíbula

Em segundo lugar, é importante esticar os músculos ao redor da mandíbula. Há algumas específicas exercícios de mandíbula que podem ser executadas, de acordo com a Colgate.

Comece por tocar sua língua para o telhado de sua boca, mantendo os dentes suavemente separados e sua mandíbula completamente relaxado. Enquanto mantém a língua afixada no telhado de sua boca, lentamente abra sua mandíbula o mais largo possível, antes de sentir qualquer dor. Segure e feche a boca suavemente. Repita para contanto que você puder.

Outro exercício que você pode fazer é simplesmente abrir a boca larga, muito lentamente. Depois de fechá-lo novamente, mova a mandíbula para a esquerda e depois para a direita. Eu não posso enfatizar o suficiente para que isso deve ser feito de forma lenta e relaxada.

Fortaleça a mandíbula

É importante fortalecer sua mandíbula, tanto quanto possível, para que os músculos ao redor da articulação tornam-se forte o suficiente para mantê-lo no lugar. Para fazer isso, comece com a boca fechada e sua mandíbula relaxada. Coloque o polegar embaixo do queixo. Lentamente começar a abrir a boca, pressionando assim para baixo em seu polegar. Seu polegar criará a resistência que ajudará a reforçar os músculos em sua maxila.

Auto-massagem

Finalmente, auto-massagem pode ajudar a aliviar a dor e relaxar os músculos em torno de sua mandíbula. Para muitos sofredores TMJ, a massagem maxilar mais eficaz é uma massagem amassar. Usando seus knuckles (ou seus fingertips se os knuckles desencadearem a dor), comece nos cantos de sua boca e trabalhe sua maneira traseira para sua maxila, amassando enquanto você vai. Quando você encontrar uma superfície plana, dura, você veio sobre a articulação em si. Permaneça lá e concentre-se em amassar a área a seu nível desejado da intensidade.

quarta-feira, 21 de dezembro de 2016

O que é Ciática?


Até 40 por cento das pessoas são esperadas para experimentar dor ciática, pelo menos uma vez na vida. Ciática é a dor causada pela irritação de seus nervos ciático, que correm de sua coluna lombar, através de suas nádegas e pelas costas de suas pernas. A dor pode se sentir como uma câimbra na perna ruim, ou uma dor excruciante, tiro que faz ficar de pé ou sentado difícil.

O que causa ciática?

Ciática é realmente um sintoma de outras condições. Estima-se que cerca de 90 por cento dos casos de dor ciática são causados por uma (escorregou) hérnia de disco em sua coluna.

Seus discos espinhais são feitos de cartilagem e atuam como almofadas entre suas vértebras. Um disco herniado é aquele que é temporariamente empurrado para fora do lugar. Em seguida, exerce pressão sobre a raiz do nervo ciático.

Algumas outras condições que podem causar dor ciática incluem:

  • Síndrome do piriforme - quando o músculo piriforme na nádegas torna-se apertado ou espasmos, colocando pressão sobre o nervo ciático.
  • Estenose espinhal - estreitamento do canal espinhal, que comprime o nervo ciático.
  • Spondylolisthesis - um deslizamento das vértebras que se estreita a abertura onde o nervo ciático sai da coluna vertebral.
  • Tumores medulares - estes podem comprimir o nervo ciático.
  • Infecção dentro da coluna vertebral.
  • Lesão à coluna vertebral.
  • Síndrome da cauda eqüina - uma condição rara que afeta os nervos da medula espinhal inferior.


Quais são alguns dos sintomas?

Os sintomas mais comuns são tiro dores em qualquer lugar ao longo de seu nervo ciático, incluindo a coluna lombar, nádegas, costas de sua perna e às vezes seus pés e dedos. Estes são tipicamente apenas em um lado do seu corpo.

A dor pode ser leve a grave e pode aumentar quando você ficar de pé, sentar ou tossir. Pode se desenvolver subitamente ou gradualmente. Você também pode experimentar entorpecimento ou formigamento ao longo do nervo, ou uma sensação de agulhas e pinos.

Ciática pode ser aguda ou crônica. Ciática aguda pode durar até 8 semanas de cada vez e muitas vezes desaparece completamente dentro de um ou dois anos . Considerando que, ciática crônica tem flare ups que duram mais de 8 semanas e, muitas vezes, precisa de tratamento mais intensivo, em curso.

Você está em risco de desenvolver ciática?

Hérnia de disco, a principal causa de dor ciática, são mais comuns em pessoas com idade superior a 30 , e os homens levá-los duas vezes mais que as mulheres.

Fatores adicionais que poderiam aumentar o risco de ciática incluem:

  • A idade - ciática é mais comum entre os 45 a 64 anos de idade
  • Altura - o risco foi mostrado para aumentar à medida que sua altura aumenta
  • Fumar
  • Estresse mental
  • Atividade física extenuante - como levantamento, flexão e torção freqüentes
  • Condução - a vibração de todo o corpo pode colocá-lo em risco
Você pode prevenir ciática?


Algumas causas da ciática não são evitáveis, mas você pode tomar medidas para manter a sua volta saudável e evitar tensão desnecessária ou lesões que poderiam colocá-lo em maior risco.

Use técnicas de elevação adequadas. Levante sempre com as costas retas, os joelhos dobrados em uma posição agachada e mantendo os objetos próximos ao peito enquanto você se levanta.

Inclua exercícios que fortaleçam os músculos das costas e abdominais, que ajudam a apoiar a coluna vertebral. Também é importante manter uma boa postura enquanto sentado e em pé para reduzir qualquer pressão sobre a coluna inferior.

Além disso, pode ser útil para evitar ou parar de fumar, e certifique-se de se levantar e se mover regularmente durante qualquer longo período de sessão.

Como é tratada a ciática?

Se você suspeitar que você tem ciática, verifique com o seu médico para confirmar o diagnóstico e decidir sobre o melhor curso de tratamento.

Dor ciática, muitas vezes, diminuir por conta própria , por isso o tratamento da dor ciática, muitas vezes centra-se na gestão da dor até que apura-se naturalmente.

Pesquisa mostra que é geralmente melhor para permanecer ativo e continuar suas atividades diárias. Algumas horas de repouso na cama podem proporcionar algum alívio, mas não é mostrado para acelerar a recuperação.

Fisioterapia pode ajudar a aliviar a dor, fortalecendo os músculos traseiros e abdominais para apoiar a coluna vertebral, o que irá reduzir a pressão sobre o nervo ciático.

Outras terapias, como cuidados quiropráticos, acupuntura, ioga e massagem, podem proporcionar algum alívio também.

Você também pode falar com seu médico sobre medicamentos para a dor. Existem algumas opções diferentes para o tratamento da ciática. A cirurgia para corrigir as condições que causam ciática é outra opção.

Fonte: http://www.care2.com

terça-feira, 6 de dezembro de 2016

4 maneiras fáceis para melhorar a digestão


Isso também significa que ele pode ser a temporada mais difíceis para o seu sistema digestivo sobrecarregado. Se sua digestão está desequilibrado, você pode estar enfrentando aumento da indigestão, azia, diarreia, constipação, distensão abdominal, flatulência e muito mais. Felizmente, existem algumas coisas simples que você pode fazer em casa para apoiar e melhorar a sua digestão neste inverno.

Gole de vinagre de maçã . Aparentemente, como muitos como 90 por cento dos norte-americanos produzem o ácido do estômago muito pouco. Este ácido, conhecido como ácido clorídrico, é responsável para desbloquear enzimas digestivas, favorecendo a digestão e melhorar a absorção de nutrientes. Ácido baixo significa que o corpo não está absorvendo corretamente os nutrientes dos alimentos, assim você pode ser mais propensas a deficiências mesmo se você tem uma dieta equilibrada. Mesmo síndromes como a de refluxo ácido são o resultado da produção de ácido gástrico muito pouco. Ao consumir 1 a 3 colheres de chá de cru, vinagre de maçã orgânico (com a mãe) diluído em água cerca de 20 minutos antes de comer, ACV pode ajudar a aumentar o ácido do estômago e aumentar a absorção de nutrientes. Apenas certifique-se swish água na boca depois de beber a tônica, a fim de proteger o esmalte dos dentes da erosão.

Tente enzimas digestivas . Tomando enzimas digestivas suplementares na hora das refeições pode melhorar significativamente a sua digestão. Estas enzimas ajudam o corpo por quebrar difícil de digerir alimentos e liberando o sistema imunológico para fazer funções de manutenção mais importantes. Alta qualidade, enzimas digestivas compradas em lojas são derivados de alimentos vegetais poderosos (como mamão e sua poderosa enzima digestiva, a papaína). Procure um com um pH equilibrado e uma variada gama de enzimas. Em conjunto, os probióticos também são um bom complemento para o seu arsenal digestivo para manter essas bactérias do intestino sempre importantes na seleção.

Melhorar a sua postura. A postura correta é tão importante, especialmente para uma boa digestão. Manter os seus órgãos em alinhamento torna a tarefa de processamento de alimentos muito mais fácil para o seu corpo. Mas ter a força para manter a postura correta também é importante. Força dos músculos abdominais , incluindo o diafragma importante, torna-se comprometida quando desleixo em mesas durante todo o dia. Isso pode comprimir o estômago e intestinos e incentivar desconforto e inchaço após as refeições. Prática posturas de yoga , como torções da coluna vertebral para melhorar a digestão, esticar os músculos abdominais, incentivar o relaxamento profundo e realinhar os órgãos. E, claro, sentar-se frente em sua mesa e tomar pé pausas frequentemente.

Beba chás de ervas . Herbals chás como erva-doce, gengibre, hortelã-pimenta, dente de leão e canela pode ajudar a melhorar a digestão após uma refeição pesada. Tente um chai de ervas ou uma bala de menta marroquino diariamente para colher os frutos dessas ervas benéficas. E se você gosta do sabor picante, kombucha pode combinar os benefícios de probióticos de fermentação, juntamente com os benefícios digestivos de chá.

Além das dicas acima, aumentando a sua consciência em torno do alimento pode fazer uma enorme diferença na sua digestão. Comer devagar, mastigar bem e não se sentar para uma refeição quando você está estressado. Por priming o corpo e a mente, você pode promover a saúde digestiva durante toda a temporada com relativamente pouco esforço ativo. Stomachaches ter ido embora, tudo o que precisamos é um pouco de atenção.

quarta-feira, 16 de novembro de 2016

8 maneiras de induzir o sonho lúcido


Enquanto acordado, vamos manter o controle consciente sobre nossos pensamentos e ações. Quando dormir , a nossa vigilância cede, e estamos abraçado pelos nossos sonhos.

Mas essas existências aparentemente díspares se sobrepõem na forma de lúcida sonhando prazo -a primeira cunhado por Frederik van Eeden, em 1913.

O sonho lúcido é um sonho no qual o dorminhoco sabe que ela está sonhando. Cerca de 50 por cento de todas as pessoas experimentam o sonho lúcido, pelo menos uma vez em suas vidas, e 20 por cento de todas as pessoas experimentam regularmente sonhos lúcidos (uma vez por mês).

De nota, metacognição , incluindo comentários interna, auto-reflexão e escolha, pode ocorrer em ambos os sonhos lúcidos e regulares.

Aqui estão oito maneiras empiricamente suportados diferentes que os sonhos lúcidos podem ser induzidas.

  1. Indução mneumonic de sonhos lúcidos (MILD) é feito uma vez um sonhador acorda de um sonho. Uma vez acordado, o sonhador ensaia o sonho e visualiza a tornar-se lúcido a ele. O sonhador também diz-se o seguinte: ". Da próxima vez que eu estou sonhando, eu quero lembrar que eu estou sonhando"
  2. Reflexão implica uma pessoa que solicita-se regularmente se ele está sonhando enquanto acordados e varredura do ambiente para incongruências que indicam sonhando. O mecanismo desta técnica baseia-se nas hipóteses de que as experiências acordado se refletem em sonhos. Realidade controlos realizados durante todo o dia pode fazer o seu caminho em sonhos e servir como um gatilho para o sonho lúcido.
  3. Intenção envolve a imaginação sonhadora antes de adormecer que ela está em uma situação sonho e reconhecendo o sonho. Esta técnica pode ser particularmente útil para pessoas que sofrem de recorrentes pesadelos . Desencadeando um sonho lúcido, o sofredor pesadelo pode mudar para um sonho menos angustiante.
  4. Auto-sugestão envolve o sonhador sugerindo a si mesma que ela vai ter um sonho lúcido direito antes de adormecer, enquanto deitada na cama e descontraído.
  5. Wake-up-back-to-cama (WBTB) envolve o sonhador despertar do sono durante as primeiras horas da manhã, permanecendo acordado por entre 30 e 120 minutos e, em seguida, voltar a dormir.
  6. Estimulação externa aplicada durante o sono REM foi usado para acionar o sonho lúcido. Durante o sono REM, uma sugestão externa poderia ser apresentado ao sonhador e isso poderia desencadear um sonho lúcido. A forma mais popular de estimulação externa é uma máscara de sono que produz estímulos luminosos. Vários iterações destas máscaras do sono são comercialmente disponíveis.   
  7. A aplicação de estimulação transcraniana por corrente contínua (ETCC) ao nível do córtex pré-frontal ou precuneus durante o sono REM foi recentemente estudada como uma forma de induzir o sonho lúcido.
  8. Certas drogas têm sido relatados para aumentar sonho lúcido, tais como donepezil (inibidor da colinesterase).

Há poucas pesquisas sobre muitas destas técnicas de sonho lúcido. Não sabemos ao certo qual dessas técnicas funcionam melhor. No entanto, os primeiros quatro cognitivas técnicas listadas acima foram melhor estudados, com um potencial MILD memória técnica, tendo o apoio mais empírica.

sexta-feira, 11 de novembro de 2016

Impulsionar a gordura marrom através de uma dieta picante!


Até cerca de dez anos atrás , tecido adiposo marrom (BAT) foi considerado biologicamente ativo somente em bebês e crianças pequenas, onde ele gera calor pela queima de gordura. Mas agora, não há dúvida de que a gordura marrom ativa está presente em adultos humanos e está envolvido em aumentos induzidos pelo frio em gasto calórico todo o corpo e, assim, ajuda a controlar não só a temperatura do corpo, mas também como a gordura que nós somos.

Em 2013, os investigadores mostraram que se pode ativar o tecido adiposo castanho se relaxar as pessoas tempo suficiente, especificamente, expondo-as a duas horas de frio a cada dia, durante seis semanas, o que pode levar a uma redução significativa da gordura corporal. Você pode ver um gráfico ilustrativo no meu vídeo abaixo. Embora os pesquisadores demonstraram o recrutamento eficaz de gordura marrom humano, parece difícil aumentar a exposição ao frio na vida diária. Felizmente, nossa gordura marrom também pode ser ativado por alguns ingredientes alimentares, tais como a capsaicina, o composto que faz pimentas quente.

Enquanto a atividade física é geralmente recomendado para aumentar o gasto energético, existem componentes alimentares específicos, como a capsaicina, que são conhecidos por queimar calorias. Por exemplo, um estudo descobriu que havia um significativo aumento no gasto de energia dentro de 30 minutos de comer o equivalente a uma pimenta jalapeño.

Normalmente, quando reduzir calorias, o nosso metabolismo fica mais lento, sub cotação nossas tentativas de perda de peso; mas polvilhar um terço de uma colher de chá de pimenta de pimentão vermelho em pó para as nossas refeições neutraliza que metabólica abrandar e promove a queima de gordura. Pesquisadores quis experimentar dando aos participantes mais pimenta, a fim de tentar igualar alguns dos estudos feitos na Ásia, mas os indivíduos caucasianos não podia levá-la. Mas, adicionando mais de uma colher de sopa de pó de pimenta vermelha a uma refeição rica em gordura, as mulheres japonesas queimadas significativamente mais gordura.

Sabemos há décadas que caiena pimenta aumenta a taxa metabólica, mas não sabia como. Mas estudos mostram que esta classe de compostos aumenta o gasto energético em indivíduos humanos com a gordura marrom, mas não naqueles sem ele, indicando que os indivíduos aumentar a despesa direita fora do bastão. Além disso, existe uma variedade de moléculas de aroma estruturalmente semelhantes em outros alimentos, como a pimenta preta e gengibre, que podem ativar a termogênese, bem como, mas eles não foram diretamente testados.

Todos estes resultados sugerem que os efeitos anti-obesidade de pimenta são compostos com base na atividade de geração de calor de gordura marrom recrutados. Assim, a ingestão repetida pode imitar os efeitos crônicos da exposição ao frio, sem ter que nos congelar.

O consumo de alimentos picantes podem ajudar a perder peso, mas que sobre a queimadura sensorial e dor em nossas línguas e às vezes em nossos estômagos, bem como ainda mais para baixo? São as nossas duas únicas opções para aumentar a gordura marrom para congelar as pernas ou queimar nossos traseiros?

Arginina-rico alimentos também podem estimular o crescimento do tecido adiposo marrom e desenvolvimento através de uma variedade de mecanismos, o que é conseguido por consumir mais alimentos de soja, sementes, nozes e feijão.


domingo, 6 de novembro de 2016

A vasectomia não aumenta o risco de câncer de próstata


As últimas notícias de pesquisa contra o câncer são apresentados para Sciences et Avenir e exclusivamente pelo professor David Khayat, chefe do departamento de oncologia da Pitié-Salpêtrière. 

Um novo estudo mostra que a vasectomia não aumenta o risco de desenvolver qualquer tipo de câncer de próstata. Esta é a pesquisa mais sobre o assunto pela American Cancer Society. A vasectomia é um método de esterilização que envolve cortar os canais deferentes, que transportam o esperma dos testículos. O cancro da próstata é o segundo cancro mais comum nos homens nos Estados Unidos, por trás do melanoma.

Os pesquisadores analisaram dados de 363.000 americanos com idades entre 40 e mais velhos que participaram, entre 1982 e 2012 na Câncer Prevention Study II, um grande projeto de pesquisa. Entre os participantes, pouco mais de 42.000 homens tiveram uma vasectomia. No total, 7451 pacientes morreram de câncer de próstata durante este período. Além disso, os autores do estudo analisaram informações de um subconjunto de cerca de 66 000 homens do mesmo estudo, 9.133 foram diagnosticados com câncer de próstata. Eles foram seguidos em 1992. Este grupo tem permitido aos pesquisadores avaliar qualquer relação entre vasectomia e o risco geral de ser diagnosticado com câncer de próstata.

Com base nesses dados, os cientistas não encontraram nenhuma relação entre a vasectomia e o risco de câncer de próstata ou o risco de câncer de próstata fatal. Os resultados desta pesquisa foram publicados no Journal of Clinical Oncology .

terça-feira, 1 de novembro de 2016

Academia pode ser uma Profilaxia para os Riscos para a Saúde do Stress


Um novo estudo reafirma a importância de manter um estilo de vida ativo, especialmente em épocas de  estresse . Os pesquisadores descobriram que as pessoas que estavam fisicamente apto moderou as de saúde riscos causados pelo estresse de forma mais eficaz do que suas contrapartes menos-fit. Estes resultados adicionam a um crescente corpo de evidências que mostra que o exercício aeróbico é clinicamente comprovada para beneficiar o seu coração e mente, a curto e longo prazo.  

Este estudo foi conduzido por  Markus Gerber , um esporte cientista do Departamento de Desporto, Exercício e Saúde da Universidade de Basel, na Suíça, em conjunto com colegas da Suécia. A novembro 2016 relatório aparece hoje na revista Medicine and Science in Sports e do exercício .

Manter-se ativo é especialmente importante quando você está estressado

Todo mundo sabe que os seus benefícios bem-estar psicológico e físico de exercício físico regular. Infelizmente, durante tempos de aflição, muitas vezes há uma tendência a exercer menos.  Em um comunicado a Universidade de Basel, Gerber, explicou: "Acima de tudo, estes resultados são significativos porque precisamente é quando as pessoas estão estressadas que eles tendem a envolver-se em física atividade com menos frequência. "

Esta nova investigação por Gerber et al. sugere que se tornando inativo durante períodos de estresse cria um golpe duplo, fazendo alguém mais propensos a tornar-se deprimido, enquanto aumenta os seus riscos para a saúde. 

Mais especificamente, redução dos níveis de aptidão cardiorrespiratória (ACR) aumentar a sua probabilidade de ocorrência de fatores de risco cardio metabólico, tais como aumento da pressão arterial, juntamente com o aumento do seu risco de doenças cardiovasculares. Na verdade, os pesquisadores confirmaram que a aptidão cardiovascular está ligada a praticamente todos os fatores de risco de doença cardíaca.

Para este estudo, os pesquisadores compilou pesquisas nível de estresse auto-relatados e testou a aptidão cardiorrespiratória de 197 trabalhadores suecos profissionais masculinos e femininos, com idade média de 39 em uma bicicleta estacionária. Além disso, os pesquisadores mediram uma ampla gama de fatores de risco cardiovasculares, como pressão arterial, índice de massa corporal (IMC), colesterol, triglicerídeos e hemoglobina glicada. 

Como seria de esperar, os pesquisadores descobriram que os indivíduos altamente estressado, que estavam fora de forma, exibiram mais fatores de risco cardiovasculares através da placa. Por exemplo, quando os níveis de estresse eram altas, os valores de colesterol LDL excedeu o limite clinicamente relevante em funcionários com um baixo nível de condicionamento físico. No entanto, este não foi o caso para aqueles com altos níveis de aptidão.

Os resultados deste estudo podem parecer senso comum. Mas, é sempre útil ter dados empíricos para fortalecer a sua motivação para manter um regime de fitness, especialmente quando a sua vida é agitada, e você está se sentindo muito estressado para dar tempo para um treino. 

A aptidão física é um Stress Buster potente no local de trabalho

Segundo os pesquisadores, o estresse psicossocial é um dos principais fatores que levam ao absentismo relacionados com a doença. Portanto, cabe aos empregadores e gestores para incentivar os funcionários a permanecer fisicamente ativos, especialmente quando alguém em sua equipe está sob mais pressão do que o habitual.

A análise dos dados estudo identificou um continuum entre a percepção subjetiva de esforço e o impacto positivo ou negativo de fatores de risco cardiovasculares. Como um exemplo, entre os participantes do estudo que eram os mais estressados, houve variações dramáticas entre os fatores de risco cardio metabólico apresentados por indivíduos com os níveis mais altos e mais baixos de fitness.

A boa notícia é que a aptidão cardiorrespiratória parece criar um tipo de profilaxia psicológicos e físicos que podem protegê-lo contra os riscos de saúde associados com experimentando altos níveis de estresse no local de trabalho. O resumo estudo conclui, "Higher CRF podem fornecer alguma proteção contra os perigos para a saúde do estresse crônico alta atenuando o aumento relacionado com o estresse em fatores de risco cardiovascular."

As últimas pesquisas nos lembra tudo o que manter a sua aptidão cardiorrespiratória pode combater diretamente os sintomas depressivos ao abaixar um amplo espectro de fatores de risco cardiovasculares associados com o estresse. Simplesmente por ter de intensidade moderada exercício aeróbio um hábito diário, parece possível imunizar-se contra uma miríade de riscos de saúde associados com o estresse. Felizmente, estes resultados irão motivá-lo a ficar fisicamente ativo, especialmente em épocas de estresse elevado.

domingo, 30 de outubro de 2016

Dor nas pernas podem indicar doenças graves: conheça os motivos e o que fazer para combater


Normalmente a dor nas pernas em repouso indica problemas de circulação, como doença vascular periférica, enquanto dor nas pernas ao acordar pode ser sinal de câimbra noturna ou falta de circulação. A dor nas pernas e nas costas pode ser sintoma de problemas na coluna ou compressão dos nervos, já a dor nas pernas e cansaço pode estar relacionada com excesso de atividade física.

A dor nas pernas podem ser causadas por problemas vasculares como má circulação ou varizes, esforço físico ou neuropatia, por exemplo e para identificar a sua causa deve-se observar o local exato e as características da dor, e se as duas pernas são afetadas ou somente uma.

Outras causas menos comum de dor nas pernas são câncer nos ossos, lúpus, gota e doença de Paget. Quando a dor nas pernas está mais relacionada ao cansaço e falta de energia o médico pode suspeitar de fibromialgia, síndrome da fadiga crônica ou dor miofacial, por exemplo.

Dor nas pernas por má circulação

A dor nas pernas causada por má circulação afeta principalmente idosos e pode surgir em qualquer hora do dia, mas piora após passar algum tempo sentado ou de pé na mesma posição. Os pés e os tornozelos podem ficar inchados e com uma coloração arroxeada, indicando êxtase venosa e dificuldade no retorno do sangue para o coração.

Em caso de trombose a dor é localizada, mais frequentemente, na ‘batata da perna’, é intensa e há alguma dificuldade para movimentar os pés. Além disso é comum que a dor afete somente uma perna, haja inchaço e aumento da temperatura nesta região. Esta é uma situação que pode acontecer após alguma cirurgia ou quando a pessoa precisa ficar muito tempo sentada na mesma posição, como pode acontecer numa viagem de avião, por exemplo.

A má circulação é caracterizada pela dificuldade do sangue passar pelas veias ou artérias, gerando sintomas como pés inchados, dor nas pernas, mãos frias e varizes nas pernas. É uma situação comum, especialmente em indivíduos com excesso de peso ou em mulheres que tomam a pílula anticoncepcional.

Alguns casos de má circulação podem ser hereditários e se manifestar constantemente, porém em alguns indivíduos pode surgir devido a outras causas, como passar muito tempo de pé, cruzar as pernas ou o envelhecimento do corpo.

Sintomas de má circulação

Os sintomas da má circulação do sangue incluem:

  • Pés e mãos frias
  • Inchaço das pernas e pés
  • Dor e cansaço nas pernas
  • Pele seca e escamosa
  • Sensação de formigamento nas pernas
  • Varizes.
  • Para reduzir estes sintomas os pacientes podem elevar as pernas, com almofadas, no final do dia ou dormir com as pernas mais altas que o corpo.

O que fazer para má circulação

O que se pode fazer para má circulação é:

  • Praticar atividade física regularmente
  • Usar meias de compressão elásticas
  • Não ficar muito tempo sentado ou de pé
  • Diminuir a quantidade de sal na comida
  • Estar dentro da faixa de peso ideal.
  • Além destas dicas os indivíduos devem evitar o acúmulo de gordura e verificar anualmente os níveis de colesterol no sangue, pois o colesterol alto prejudica a circulação.

No caso da mulher, também é importante manter acompanhamento com o ginecologista, principalmente durante o uso da pílula anticoncepcional.

Nutrição e remédios favoráveis

A vitamina E é recomendável para aqueles que sofrem de problemas de circulação. Também, o Creme de Pimenta de Caiena é utilizado para ser aplicado externamente, podendo melhorar a dor nas pernas. A niacina ou Vitamina B 3 relaxa os vasos sanguíneos melhorando a circulação. O extrato de alcachofra diminui a pressão arterial, e previne a arteriosclerose.

Os remédios que podemos utilizar para melhorar a circulação das pernas generosamente agraciados pela nossa mãe natureza são:

Ginkgo biloba: possui a capacidade de dilatar as veias e, dessa maneira, o sangue circula melhor.

Alho: evita a formação de coágulos.

Unha de gato: diminui a capacidade de coagulação do sangue.

Cavalinha: Atua como diurético, melhorando a circulação. Faça uma decocção durante 30 minutos de 100 gr da planta seca por litro de água. Beba dois copos por dia.

Hamamélis: Pode-se esfregar ou realizar fricções com a água de hamamélis para aliviar a dor e o inchaço das pernas com varizes.

Castanheiro-da-índia: Faça uma decocção da casca em uma colherinha por copo de água. Beba dois copos por dia.

O que é decocção?

É quando as partes da planta são fervidas junto com a água por alguns minutos. Esta técnica é aplicada geralmente para o preparo de chás das cascas, raízes ou pedaços de caule, que por serem mais duros precisam de um método mais rigoroso para a extração para a água dos compostos benéficos presentes na planta. Para se obter o efeito esperado, é preciso seguir qual o modo indicado de preparo do chá escolhido.

Argânia: o óleo de argânia pode ser utilizado cru para temperar a salada.

Salgueiro: Faça uma infusão de uma colherada pequena da casca por copo de água. Beba um copo a cada dois dias.

Má circulação na gravidez

A má circulação na gravidez é uma situação frequente, porque, durante este período, o organismo da mulher produz mais líquidos para manter a irrigação da placenta, o que dificulta o trabalho das veias.

Além disso, existe produção de relaxina, um hormônio que provoca a dilatação das veias, dificultando o retorno do sangue ao coração.

Assim, para evitar a má circulação, as grávidas devem descansar várias vezes durante o dia, utilizar meias elásticas e fazer massagens nas pernas.

Como aliviar: Deitar de barriga para cima com as pernas elevadas durante 30 minutos pode ajudar, mas o médico pode indicar o uso de remédios para melhorar a circulação, assim como o uso de meias de compressão elástica. Em caso de suspeita de trombose o médico deve ser rapidamente avisado.

A natação e os passeios de bicicleta são muito recomendados para prevenir as varizes. Quando for descansar, o melhor é elevar as pernas para contribuir com o retorno venoso, evitando o estancamento do sangue.

Devemos evitar expor as pernas a muito calor, seja tomando sol em horários pouco adequados ou com banhos de imersão muito quentes. Poderíamos optar por roupas mais folgadas e cômodas ao invés de calças justas, que limitam a boa circulação do sangue.

A depilação com cera quente não é recomendada para aqueles que sofrem de varizes. As massagens também são benéficas, mas não podem ser bruscas e com muita pressão. Devem ser realizadas por um especialista, pois, caso contrário, poderiam agravar os sintomas.

Dor nas pernas de origem muscular

A mialgia pode surgir após esforço físico, praticar exercício físico ou usar um sapato desconfortável e neste caso, a dor geralmente surge no final do dia e é muitas vezes dita como ‘cansaço nas pernas’. Outra causa comum de dor nas pernas de origem muscular são as cãibras que normalmente ocorrem durante a noite e também durante a gravidez.

Como aliviar: evitar a dor é sempre o melhor remédio! E no caso das dores musculares nas pernas, há várias coisas que se podem fazer para evitar que estas apareçam ou que, pelo menos, não se manifestem em toda a sua intensidade. A começar por uma alimentação saudável e por hábitos de vida cuidados, fugindo ao tabaco e ao álcool. Também não convém exagerar no açúcar!

Imprescindível é também manter uma rotina de prática desportiva ou, pelo menos, fazer caminhadas ou dar longos passeios a pé com regularidade.

Dormir bem e de forma devidamente repousante é outro truque essencial para evitar tensões musculares nas pernas e na generalidade do corpo. Deve tentar dormir durante oito horas por noite para garantir um sono realmente revitalizante, como deve ser.

Se o seu trabalho obriga a ficar em pé ou sentado durante muitas horas seguidas, é bom que se habitue a fazer pausas para esticar e alongar os músculos. Manter este tipo de posturas de forma continuada tende a provocar e a agravar as dores musculares nas pernas.

Tomar um banho morno e deitar com as pernas elevadas porque isso facilita a circulação sanguínea e a desinchar.

Dor nas pernas causada por problemas de coluna

Quando a causa da dor nas pernas são alterações na coluna, a pessoa pode sentir dor no fundo das costas, glúteos e parte detrás da coxa, além da dor pode haver sensação de formigamento ou fraqueza nas pernas. A dor nas pernas ao caminhar pode ser sintoma de inflamação do nervo ciático ou hérnia de disco.

Como aliviar: Colocar uma compressa morna no local da dor, deixando atuar por 20 minutos, além de evitar esforços, levantar objetos pesados e em alguns casos pode ser preciso fazer fisioterapia.

Se você responder sim a qualquer uma das perguntas a seguir, você deve consultar um especialista em coluna:

1. Sua dor na parte inferior das costas se prolonga até sua perna? Se a dor é persistente e severa, ela é um sinal de que algo está comprimindo um nervo (comumente o nervo ciático) que se prolonga de suas costas para a perna.

2. A dor na sua perna aumenta se você levantar seu joelho até o peito ou se curvar sobre ele? Em caso positivo, há uma grande possibilidade de um disco estar irritando um nervo (provavelmente ciático).

3. Você sentiu uma dor muito forte após uma queda recente? Uma queda pode causar danos a sua coluna. As chances de lesões aumentam se você tiver osteoporose ou se estiver gestante.

4. Você Possui disfunções ou problemas de postura? Durante a infância e adolescência, desenvolvemos vícios posturais que na fase adulta podem se estruturar em problemas de postura que com o tempo passam a gerar dores musculares, como segue abaixo.

5. Você tem sentido dores nas costas que pioram quando você repousa ou que o acordam à noite? Se isso estiver acompanhado por febre, pode ser sinal de que há uma infecção ou outro problema, se não, identifica compressão em nervos que pioram durante o repouso do sono.

6. Você tem sentido dores nas costas significativas por mais de três semanas? Geralmente, a dor desaparecerá com um tratamento simples. Entretanto, se sua dor persistir, você deve consultar um especialista em coluna.

7. Você tem problemas persistentes de bexiga ou de intestinos ou cólicas em período menstrual associados a dor lombar? Problemas de bexiga ou de intestinos podem ter diversas causas, mas alguns problemas de coluna podem causar esses sintomas, portanto há a necessidade de investigar. Em caso de cólica menstrual associada a dor lombar, justifica-se pelo aumento de tensão dos músculos lombares durante este período, que podem ser devidos a ma postura.

8. Você acorda frequentemente com dores no corpo e associa que piora durante o sono? Devemos estar atentos a postura de dormir, pois dores na coluna causam distúrbios do sono e o uso de cama ou travesseiros inadequados pioram as dores. O ideal e manter a coluna alinhada, podendo usar um travesseiro embaixo da cabeça e outro entre as pernas, alinhando a coluna cervical e lombar com a coluna torácica.

9. Você fica com as pernas adormecidas ou enfraquecidas ao caminhar? Esses problemas podem ser causados por um estreitamento do canal vertebral. Isso é chamado de estenose vertebral onde pode estar havendo um pinçamento de nervos.

10. Você sente dores de cabeça em aperto na região da nuca que desce para os ombros, podendo chegar ate os braços? Quando ocorrem disfunções na coluna cervical comumente pode ser devido a compressão de nervos dos ombros, braços, cabeça ou face. Caso as dores persistirem, necessita-se procurar fisioterapeuta especializado .

Dor nas pernas devido a problemas articulares

Especialmente nos idosos a dor nas pernas pode estar relacionada a problemas ortopédicos como atrite ou artrose, neste caso outros sintomas devem estar presentes como dor nas articulações e rigidez nos primeiros 15 minutos da manhã.

A dor nas articulações, também chamada de dor articular, é uma sensação de desconforto, dor ou incômodo em uma ou mais articulações do corpo. Dor nas articulações pode ocorrer com ou sem movimento muscular e pode ser grave o suficiente para limitar o movimento. As pessoas também costumam descrever a dor nas articulações como desconforto, inflamação, sensação de queimação ou rigidez.

As articulações são estruturas complexas incluindo, além das extremidades ósseas, cartilagem, membrana sinovial, ligamentos, tendões e bursas e é graças a elas que conseguimos nos mexer. As articulações se movimentam constantemente, de modo que problemas não são incomuns nessas regiões.

Causas

A dor nas articulações pode ser causada por vários tipos de lesões ou doenças. Independentemente da causa, a dor nas articulações pode ser muito incômoda.

Artrite reumatoide é uma doença autoimune que causa rigidez, dor e inflamação nas articulações. A osteoartrite envolve o crescimento dos osteófitos (chamados de “bico de papagaio” quando aprecem na coluna) e a degeneração da cartilagem de uma articulação. É a causa mais comum de dor articular em adultos com mais de 45 anos.

A dor articular também pode ser causada por bursite (inflamação das bursas). As bursas são bolsas cheias de líquido que protegem e absorvem o impacto sobre das proeminências ósseas, permitindo que os músculos e tendões se movimentem livremente sobre o osso.

Inúmeras outras causas podem estar por trás da dor nas articulações. Veja:

  • Doenças autoimunes, como artrite reumatoide e lúpus
  • Condromalácia patelar
  • Gota (especialmente no dedão do pé)
  • Doenças infecciosas, que incluem -Síndrome viral de Epstein-Barr
  • Hepatite A, B ou C
  • Gripe
  • Doença de Lyme
  • Sarampo
  • Caxumba
  • Parvovirose
  • Febre reumática
  • Rubéola
  • Varicela (catapora)
  • Lesões, inclusive fratura
  • Osteomielite
  • Artrite séptica
  • Tendinite
  • Esforço fora do normal ou uso excessivo, incluindo tensões ou torções.
  • Entre em contato com um médico se você:
  • Tiver febre não associada a sintomas de gripe
  • Tiver perda de peso não intencional
  • Apresentar dor nas articulações durar com mais de três dias de duração na mesma articulação
  • Sentir dor forte e inexplicada nas articulações, especialmente se tiver outros sintomas inexplicados.

Cuidados

Quem nunca sofreu com dores nas costas, nos joelhos ou nos ombros? Dores crônicas nessas regiões do corpo atingem aproximadamente 15 milhões de pessoas no Brasil, segundo dados do Ministério da Saúde. Quando não é tratada, essa dor e inflamação nas articulações podes evoluir para doenças graves, como a osteoartrite. Diferente do que se pode imaginar, não é somente a terceira idade que precisa ficar atenta – as dores nas articulações podem atingir qualquer faixa etária. Se as articulações começarem a doer sem motivo aparente, uma das principais recomendações médicas é aplicar calor ou gelo para aliviar a dor. Caso a dor não diminua, o ideal é sempre consultar um médico para determinar se existem problemas mais sérios.

Como aliviar: confira os cuidados que você pode adotar para tratar as dores nas articulações e, ainda, prevenir que esse desgaste evolua para uma doença no futuro – embora não exista nada que de fato previna alguma doença articular:

Controle o peso: estar acima do peso pode aumentar a pressão sobre as articulações. O aumento de peso também pode alterar a maneira de andar da pessoa, intensificando as dores. Além disso, a obesidade normalmente está associado a hábitos sedentários e músculos menos tonificados – fatores que pioram a sobrecarga nas articulações. Uma alimentação saudável e exercício físico regular são essenciais para manter as articulações saudáveis.

Faça exercícios: a prática de exercícios físicos é essencial para manter as articulações funcionando bem, já que as eles ajudam a melhorar o equilíbrio e controlar o excesso de peso. Além disso, exercícios que fortalecem os músculos diminuem a sobrecarga nas articulações e favorecem o alívio de dores. Músculos fortes dão maior estabilidade ao corpo, tirando a tensão de articulações. Ao iniciar as atividades físicas opte por exercícios de baixo impacto, como bicicleta, natação ou caminhada, para reduzir a pressão sobre as articulações. O paciente também deve considerar a incorporação de exercícios de fortalecimento muscular em sua rotina, pois os músculos fortalecidos aliviam o trabalho das articulações.

Mudanças na dieta: a ingestão de alimentos ricos em cálcio e vitamina D, como leite e seus derivados, couve e espinafre, é importante para manter a densidade dos ossos, evitando e problemas como a osteoporose. Essa dupla ajuda a manter os ossos saudáveis.

Não fique o tempo todo sentado: quanto mais as articulações são usadas, maior será sua lubrificação e sua eficiência. Por isso, pessoas que permanecem longos períodos sentadas possuem mais chances de sofrer dores nas articulações do corpo. Além disso, pessoas que se movimentam mais tendem a ter músculos mais alongados, fator que protege as articulações. A coluna é, ainda, a maior vítima das horas sem se movimentar. Procure levantar-se de tempos em tempos para alongar e a caminhar.

Largue o cigarro: a fumaça do cigarro diminui sua massa óssea, enfraquecendo suas articulações. Ossos fracos aumentam o risco de uma lesão. Além disso, o tabagismo aumenta a inflamação em seu corpo, que pode afetar as articulações e causar dores. Recentemente foi demonstrado que o tabagismo é um fator que aumento o risco de desenvolver artrite reumatoide e, possivelmente, um caso ainda mais grave da doença.

Dê um descanso para os pés: o salto alto, por concentrar praticamente todo o peso no corpo nos dedos e na ponta do pé, pode causar dores crônicas nessa região se for usado com muita frequência. O salto alto também provoca uma mudança em toda a mecânica do caminhar, alterando o modo como o corpo se equilibra e sobrecarregando algumas articulações.

Alongue-se com mais frequência: A maioria das pessoas alonga-se um pouco antes ou depois de uma atividade física, mas o alongamento deve ser incorporado em sua rotina diária. Faça pausas durante o dia para manter seu corpo flexível e articulações com movimentos suaves. Você pode fazer alguns alongamentos básicos em sua mesa ou mesmo uma aula de ioga ou pilates – que juntam alongamento e exercícios.

Faça massagens: relaxar a musculatura é bom para liberar a tensão muscular. Receber massagens regularmente ajuda a relaxar os músculos e articulações e ajuda você a se sentir revigorado. Você pode fazer uma auto massagem, pedir para um amigo ou parente lhe ajudar ou então recorrer a um profissional. O médico pode indicar remédios e fisioterapia.

Dor nas pernas na gravidez

A dor nas pernas na gravidez é um sintoma normal, principalmente no início da gravidez, pois há um grande aumento de produção de estrogênio e a progesterona, que provocam dilatação das veias das pernas, aumentando o volume de sangue nas pernas da mulher. O crescimento do bebê no útero, assim como o aumento de peso da grávida, levam a compressão do nervo ciático e da veia cava inferior levando ao inchaço e dor nas pernas.

Como aliviar: a gravidez sobrecarrega o corpo da mulher e, principalmente, seu sistema cardiovascular. E é ai que surgem os inchaços e as dores nas pernas. A circulação fica mais lenta. No calor, o inchaço fica mais evidente e o repouso traz um grande benefício. O que ajuda nessa fase: prática de uma atividade física, como a caminhada, o uso de meias elásticas de suave a média compressão, fisioterapia e drenagem linfática. A ingestão de líquidos estimula o funcionamento dos rins e isso também colabora para a redução do inchaço. Vale ainda evitar comidas salgadas. Deitar de barriga para cima, com os joelhos dobrados, fazendo um exercício de alongamento da coluna e descansar com as pernas elevadas.

Quando ir no médico

É aconselhado ir no médico quando a dor nas pernas é muito intensa e quando existem outros sintomas. Também é importante ir ao médico:

  • Quando a dor na perna é localizada e muito intensa
  • Quando há rigidez da panturrilha
  • Em caso de febre
  • Quando os pés e tornozelos estão muito inchados
  • Em caso de suspeita de fratura
  • Quando não permite o trabalho
  • Quando dificulta a caminhada.
  • Na consulta deve-se dizer a intensidade da dor, quando ela surgiu e o que foi feito para tentar amenizar. O médico poderá solicitar exames para indicar o tratamento adequado, que por vezes pode incluir uso de medicamentos ou fisioterapia.

Razões para a dor

A dor na perna de causa vascular pode ter basicamente duas razões: circulação arterial deficiente ou um problema no retorno do sangue venoso. As artérias são responsáveis por transportar o sangue para fora do coração e distribuí-lo pelo corpo até a ponta dos dedos dos pés. As veias, por sua vez, recolhem esse sangue, que contém impurezas e pouca oxigenação, e levam de volta ao coração e ao pulmão, renovando a quantidade de oxigênio e nutrientes.

Quando o problema é arterial

Quando há uma deficiência na circulação arterial, falta sangue rico em oxigênio e nutrientes para irrigar os tecidos. O sintoma mais comum nesses casos é o que chamamos de claudicação intermitente, que provoca uma sensação de cãibra nas pernas – principalmente durante exercícios físicos. Este sintoma é muito comum durante caminhadas, pois, quando andamos, precisamos de sangue para irrigar os músculos. Se esse sangue não chega de forma adequada, sentimos uma dor forte, e precisamos parar para melhorar. Somente depois de um tempo parados é que podemos, então, retomar a caminhada por mais um período, e assim sucessivamente. A dor causada por este problema é pior quando há necessidade de se fazer mais esforço, como ao subir uma rua inclinada ou durante uma corrida. Nesses casos, a dor aparece rapidamente, e costuma melhorar quando estamos parados, assentados ou deitados.

No caso de falta de circulação, o recomendado é que o paciente não deixe as pernas em posição elevada, pois o sangue que já chega ao final das pernas com dificuldade, mesmo com a ajuda da gravidade, vai chegar com ainda mais dificuldade se a perna estiver inclinada para cima. Esses sintomas costumam ser piores em dias frios devido à vasoconstricção, que diminui a circulação nas extremidades do corpo. O tabagismo, o uso de drogas ilícitas e o estresse excessivo também são fatores de risco para o problema.

Se a culpa for das veias

No caso das veias, a dificuldade é retornar o sangue de volta ao coração. Se a veia está comprometida devido à presença de varizes, a um histórico de trombose venosa ou obesidade, longos períodos permanecidos de pé ou sentado, roupas que apertam muito a cintura, insuficiência cardíaca descompensada, doença pulmonar grave e outras doenças, o retorno do sangue até o coração pode ficar comprometido.

Nesses casos, sentimos uma sensação de peso, cansaço, pernas inchadas, e às vezes até uma sensação de formigamento ou dormência devido ao inchaço. Esses sintomas pioram com o calor intenso e quando permanecemos com as pernas paradas por longos períodos de tempo, e melhoram com a elevação das pernas e com o movimento.

Dificilmente a dor venosa fará a pessoa parar de se movimentar. Com o passar do tempo, essa dificuldade de retorno do sangue venoso pode levar à insuficiência venosa crônica e às suas consequências, como edema crônico, pigmentação da pele das pernas (que fica com uma cor marrom), aparecimento de pequenas lesões que podem levar à formação de úlceras, eczema (coceira intensa normalmente acompanhada de uma lesão na pele próximo ao tornozelo do lado de dentro da perna) e aparecimento de mais varizes, podendo até desencadear uma trombose.

Opções de tratamento

O tratamento da dor arterial deve contar sempre com a supervisão de um médico especializado, e basicamente inclui:

  • Parar de fumar
  • Controle rigoroso de colesterol e triglicerídeos
  • Prática de caminhada ou exercícios aeróbicos com regularidade (no mínimo 150 minutos por semana)
  • Controle da pressão arterial, da diabetes e de doenças associadas
  • Se necessário, o uso de medicamentos para melhorar a circulação do sangue
  • Caso o tratamento clínico não seja suficiente para melhorar os sintomas, talvez uma cirurgia seja necessária.

Na dor venosa, as recomendações são:

  • Parar de fumar
  • Controle rigoroso de colesterol e triglicerídeos
  • Prática de caminhada ou exercícios aeróbicos com regularidade (no mínimo 150 minutos por semana)
  • Controle da pressão arterial, da diabetes e de doenças associadas
  • O uso de meias elásticas medicinais
  • Procurar elevar os membros inferiores várias vezes ao dia
  • Cuidar do peso e dos fatores desencadeantes.
  • Em caso de varizes, a cirurgia costuma ser o procedimento mais indicado. Se necessário, o paciente também poderá fazer uso de medicamentos para aliviar a dor.


Dor nas pernas podem indicar doenças graves

As dores nas pernas são a principal causa de reclamações nos consultórios dos angiologistas e, conforme as estatísticas comprovam, estão, na maioria das vezes, relacionadas diretamente aos problemas circulatórios. Esse quadro clínico pode ser agravado, ainda, pela associação de duas ou mais doenças, o que acontece comumente e pode dificultar o diagnóstico até para profissionais experientes.

Há, no entanto, algumas características da dor que facilitam a busca pela doença responsável por ela. Dores com sensação de peso, por exemplo, que vêm associadas a inchaço e câimbras, aumentando no fim do dia e após longos períodos em pé, costumam indicar varizes. Elas são resultado da dilatação dos vasos sanguíneos, que pode ser provocada por alterações hormonais, sedentarismo, obesidade e fatores genéticos.

Já a sensação de queimação na panturrilha durante a caminhada pode ser sinal de problemas arteriais causados pela aterosclerose, doença inflamatória na qual ocorre o entupimento das artérias por colesterol e outros depósitos de gordura. Trata-se de uma enfermidade extremamente grave, que, se não tratada corretamente, pode culminar na amputação dos membros inferiores ou, até mesmo, levar a infarto do miocárdio e derrame cerebral.

As doenças da coluna também têm as pernas como ponto frequente de irradiação.

Elas costumam gerar dor em fisgada, que tende a acompanhar o trajeto do nervo na face posterior dos membros inferiores e chegar até os pés. Os casos de dores nas articulações, sobretudo nos joelhos, mais proeminentes no início de um movimento, como ao levantar-se de uma cadeira, por exemplo, estão mais relacionados a problemas ortopédicos, como a artrose.

Cada uma das manifestações clínicas e sinais encontrados nas pernas têm importância fundamental na identificação de problemas de saúde. Deixar de avaliar meticulosamente esses sintomas pode ter como resultado o não diagnóstico de doenças graves, capazes de evoluir desfavoravelmente.
O que fica de lição é que há vários detalhes na história e exame físico dos pacientes capazes de elucidar o diagnóstico, e que todas as doenças citadas têm seu potencial de complicação se não forem devidamente cuidadas. Por isso, nenhum tipo de esclarecimento substitui uma avaliação médica. Os números mostram que o primeiro especialista a ser consultado deve ser o angiologista, ou o cirurgião vascular, devido à maior incidência das doenças que podem ser tratadas por ele.

Fontes: por Dr. Bruno Lima Naves – CRM 13800/MG / Saúde – Minha Vida / Vigor – Movimento e Saúde – Eduardo Fávero – Membro do Colégio Brasileiro de Cirurgiões, especializado em angiologia, cirurgia vascular e endovascular

sábado, 29 de outubro de 2016

Você deve comer alimentos fermentados em uma base diária. Aqui está o porquê.


Você provavelmente já sabe que os probióticos são benéficos para a saúde vibrante, mas você sabe por quê? Talvez você se surpreenda ao saber que mesmo a comunidade científica como um todo ainda tem muito a aprender sobre o porquê de probióticos parecem ter um impacto tão grande sobre a saúde humana.

Mas não há dúvida de que eles fazem: Na verdade, de acordo com os especialistas por trás Farmhouse Cultura , uma empresa de alimentos fermentados orgânico que faz com que os probióticos à base de alimentos, bactérias intestinais têm sido mostrados para ajudar com a regulação do sistema imunológico, aumentando a produção de energia, ajudando com absorção de nutrientes, melhorar a digestão e auxiliando na função cerebral e humor.

Dado que muitos aspectos do seu stand de saúde para beneficiar de probióticos, qual é a melhor maneira possível para obtê-los em sua dieta? A resposta é consumir alimentos fermentados e por isso aqui.

Alimentos fermentados vs. suplementos dietéticos

Ao tomar um probiótico em pó ou em forma de pílula pode funcionar definitivamente, não são adicionados benefícios de consumir estas bactérias microscópicas na forma de alimentos. Os probióticos são um componente crucial de fermentação, um processo pelo qual os organismos microscópicos consomem os açúcares em um item de comida e metabolizar-lo.

"A fermentação cria muitas das mesmas cepas de bactérias boas encontradas naturalmente em seu intestino, tornando cultura viva alimentos fermentados uma das melhores fontes de probióticos", explica o pessoal da Cultura Farmhouse.

Além disso, quando você tirar os probióticos em forma de suplemento, você perca todos os nutrientes benéficos que alimentos integrais contêm.

"Por exemplo, a couve é uma excelente fonte de vitamina C e a vitamina K, assim como a fibra dietética e várias vitaminas B, para citar alguns," que aconselhar.

A importância de alimentos saudáveis

Se você estiver interessado em começar com um regime de probióticos à base de alimentos integrais, você pode estar se perguntando o que comer alimentos. Alimentos como o iogurte, kefir, kraut, kimchi e kombucha todos contêm probióticos vivos por um tempo depois que eles são feitos. Aqui está um guia rápido e sujo a estes superalimentos probióticas-embalados.


  • Iogurte: Nós não pensar muito fundo é necessário aqui, você provavelmente já sabe tudo sobre iogurte. Mas é importante saber que nem todos os iogurtes contêm estirpes de bactérias activas. Certifique-se de olhar para uma marca que anuncia probióticos na embalagem.
  • Kefir: Originário nas montanhas do Cáucaso, kefir é uma bebida de leite fermentado. É saudável e enchimento e cheio de toneladas de bactérias saudáveis.
  • Kraut: Às vezes chamado de chucrute, este delicioso prato é feito de repolho fermentado. Você pode fazer seu próprio em casa, mas o processo pode levar até três semanas, então pegar alguns kraut já preparado pode ser um verdadeiro salva-vidas.
  • Kimchi: Kimchi é um prato coreano que é bastante semelhante ao Kraut em que ele é feito de couve fermentada, mas também contém outros legumes e uma variedade de especiarias.
  • Kombucha: Kombucha é fermentado chá. Ele vem em muitos sabores e variedades diferentes, para que você possa maximizar o seu valor nutritivo, adicionando itens saudáveis ​​como suco de limão fresco, verdes e pressionou mirtilos.

De quinta Cultura Gut tiro e Kraut produtos contêm milhares de milhões de bactérias saudáveis para a linha de seu aparelho digestivo. Quinta Cultura se esforça para produzir produtos limpos puros e, como parte desse compromisso, eles trabalham a fonte ingredientes orgânicos, não-OGM como localmente quanto possível.

Não se esqueça da geladeira!

Ao escolher um probiótico à base de comida, é importante mantê-lo na geladeira para prolongar a sua vida de prateleira. Isto é verdadeiro de suplementos, também: Pense nisso ... estes são criaturas vivas! Eles precisam de refrigeração, a fim de permanecer vivo até que eles entrar em seu trato digestivo.

"As culturas vivas encontradas em nossos produtos precisam de alimentos, a fim de permanecer vivo", diz Farmhouse Cultura. "A refrigeração reduz a taxa na qual as culturas vivas metabolizar os açúcares residuais a partir de vegetais estendendo assim a vibração e vida útil consideravelmente."

Fonte: http://www.care2.com/

segunda-feira, 24 de outubro de 2016

O que é a doença de tireóide?


Embora não pode sempre obter a mesma quantidade de atenção como o coração, pulmões ou rins, a tireóide é  um dos componentes mais essenciais do corpo humano  que regula importantes funções vitais, tais como padrões de respiração e batimento cardíaco.

Quando não está funcionando corretamente, ele pode fazer um indivíduo bastante doente e produzir um efeito dominó, impactando muitos outros sistemas internos. Há um número de diferentes tipos de doenças da tireóide, todos os que têm diferentes causas e efeitos, mas primeiro é importante entender mais sobre a própria tireóide.

Um olhar mais atento a tireóide

A tireóide é uma parte proeminente do sistema endócrino do corpo, que tem a função principal da produção e liberação de hormônios que são transportados para as células individuais através da corrente sanguínea.

A glândula em forma de borboleta está localizado na base do pescoço, na frente da garganta, e mede cerca de duas polegadas de comprimento (se você engolir enquanto agarrando seu pescoço você pode sentir isso mover). É constituída por dois lobos em ambos os lados da traqueia que são, por vezes, unidos por uma peça fina de tecido, referido como o istmo, embora nem todos tem esse componente.

Seu trabalho é fazer dois hormônios, triiodotironina e tiroxina, que são comumente referidos como T3 e T4, respectivamente. Também libera hormônio estimulante da tireóide (TSH). Todos os três equilíbrio uns aos outros, por isso é importante que nenhum são elevados ou significativamente empobrecido dentro da corrente sanguínea. O seu papel é multilateral como parte da função geral da tireóide, que afeta um número de funções importantes do corpo:

função metabólica

A tireóide é extremamente responsável por monitorar o metabolismo e manter a fome sob controle. Ele controla a motilidade intestinal, o apetite, a absorção de nutrientes e substâncias, e quebra de gordura e glicose. Isso está diretamente  relacionado ao ganho de peso inexplicável e perda também.

progressão do desenvolvimento

As hormonas libertadas pela tireóide desempenhar um papel no crescimento de células saudáveis, bem como apoiar a força muscular. Isto é extremamente importante em crianças, uma vez que, em última análise afetar sua capacidade de prosperar.

A função sexual

hormonas da tireóide também têm um impacto sobre a função sexual, libido e ciclos menstruais.

Saúde do coração

Uma das funções mais importantes da tireóide está regulando a velocidade e força total do seu batimento cardíaco, bem como a taxa do seu corpo respirar, consumo de oxigênio, o fluxo de sangue, e até mesmo a temperatura do corpo. Ele também desempenha um papel na  manutenção dos níveis de colesterol sob controle .

Porque tantas partes do corpo são afetados pela tireóide, quando um problema se desenvolve, os sintomas podem ser variados, tanto em apresentação e gravidade.

As noções básicas de doença da tireóide

O termo " doença da tireóide " não aponta para um único problema com a glândula. Em vez disso, é mais de um termo geral que pode se referir a um número de diagnósticos, começando com os dois mais comuns: hipertireoidismo (excesso de produção do corpo de T3 e T4) ou hipotiroidismo (subprodução de T3 e T4).


Os sintomas de hipertiroidismo incluem:

  • Batimento cardíaco acelerado

  • Fraqueza muscular

  • Diarreia

  • alterações de visão ou oculares

  • perda de peso, apesar do aumento do apetite

  • Inquietação e ansiedade

  • intolerância ao calor e sudorese constante

  • tremores

  • dificuldade em dormir

Os sintomas do hipotireoidismo incluem:

  • batimento cardíaco lento ou fraco

  • fadiga constante

  • A sensibilidade ao frio

  • pele seca ou inchado

  • memória fraca

  • faculdades mentais desacelerou

  • Constipação

Tipos mais específicos de doença da tireóide


Para além dos diagnósticos mais gerais do hipertiroidismo e hipotiroidismo, há também uma classe de condições mais específicos , alguns dos quais podem ser auto-imunes na natureza. Todos são bastante comuns, na verdade, cerca de 200 milhões de pessoas em todo o mundo (incluindo 20 milhões de americanos) têm algum tipo de doença da tireóide, e a questão é de quatro a sete vezes mais comum em mulheres do que em homens.


tireoidite


Isto refere-se a qualquer tipo de inflamação da tireóide que pode desencadear a produção hormonal hiperativa desde a glândula inchada essencialmente "vazamentos" excesso de hormônios na corrente sanguínea. Embora possa ser de natureza crônica, subaguda tireoidite é outra condição que é mais temporária, caracterizada por ataques curtos de hipertiroidismo que pode durar de algumas semanas a vários meses de duração, e são geralmente desencadeada por uma infecção respiratória superior.


Alguns dos sintomas podem incluir:

  • Dor no pescoço ou ao engolir

  • Febre baixa

  • Fadiga e fraqueza

  • Rouquidão quando se fala

  • doença de Hashimoto
Hashimoto é o tipo mais comum de hipotireoidismo . Também conhecida como tireoidite linfocítica crônica, é um resultado do sistema imunológico confundindo a glândula tireóide por um patógeno, e atacá-lo, o que impede a sua capacidade para criar os hormônios que o corpo necessita para funcionar. Embora seja mais comum em mulheres de meia-idade, de Hashimoto pode afetar qualquer pessoa de qualquer idade e sexo.


Alguns dos sintomas podem incluir:

  • ganho de peso inexplicável

  • Pele seca

  • Constipação

  • rosto pálido e inchado

  • menstruação pesado ou irregular

  • doença de Graves
Na outra extremidade do espectro, não é doença de Grave , hipertiroidismo um distúrbio auto-imune que causa, ou um excesso de hormonas criados pela glândula tireóide. Isso ocorre quando o sistema imunológico produz anticorpos que estimulam a tireóide a crescer e ganhar mais T3 e T4 do que o corpo necessita. Doença de Grave é comum em famílias por isso acredita está a ser genética na natureza, mas também pode ser causada por factores ambientais.


Alguns dos sintomas podem incluir:

  • Irritabilidade

  • perda de peso inexplicada

  • Fraqueza dos músculos

  • Ansiedade e agitação

  • batimento cardíaco rápido ou palpitações

  • Insônia

  • Abaulamento olhos e problemas de visão

  • bócio
Um bócio é essencialmente qualquer aumento anormal da glândula tireóide, o que é muito visível e aparece como um pescoço inchado. Embora possa ser uma indicação de um mau funcionamento da tireóide (que produz muito hormona), ele também pode ser um sintoma de uma glândula benigna totalmente saudável, também.

Na verdade, cerca de 90 por cento do bócio são causados por uma deficiência de iodo , uma fonte de alimento a tireóide necessita de fazer o seu trabalho, que é cada vez mais escasso na dieta americana padrão.

Em geral, a cirurgia é o método primário utilizado para remover o bócio e, possivelmente, a glândula tireóide completa, o que é ainda um prognóstico muito habitáveis graças à disponibilidade de Synthroid . Esta forma sintética de hormônios da tireóide ajuda a manter o corpo em cheque, mesmo com a remoção da glândula.

GESTÃO problemas de tireóide NATURALMENTE

Enquanto medicamentos como Synthroid (ou Tapazole para o hipertireoidismo ) são regularmente prescrito, há também algumas opções mais naturais que você pode incorporar para ajudar a garantir a sua tireóide está funcionando em seus níveis principais. Sempre certifique-se de consultar o seu médico antes de iniciar qualquer novo regime.


Obter suficiente iodo


A deficiência de iodo é uma das principais causas de doença da tireóide . Este mineral essencial não é produzido pelo corpo assim que deve ser adquirido através de alimentos; Sem ele, o corpo não vai ser capaz de produzir a quantidade suficiente T3 e T4. Usando o sal de mesa iodado é um dos (as formas e os mais comuns) mais fáceis de completar a sua dieta; mas outras fontes incluem peixe bacalhau, feijão branco, atum, algas, e ovos.


Aumentar o selênio


Outra deficiência de nutrientes que é frequentemente esquecido em casos de doença da tireóide é selênio. As enzimas neste ajuda mineral para proteger a tireóide durante períodos de estresse, e também ajudar a regular o synthesization de hormônios. Embora suplementos de selênio são convenientes, você também pode obter uma fonte natural de alimentos como castanha do Pará, frutos do mar, cogumelos e germe de trigo e de grama de trigo.


Suplemento com traços de metais


Ferro, cobre e zinco são todos importantes para a função da tireóide. Níveis mais baixos destes metais vestigiais pode resultar na redução da produção de T3, T4, e TSH.


Tente a dieta mediterrânea


Esta dieta foi elogiado há anos por nutricionistas e aqueles na área médica, pois é abundante em gorduras saudáveis de azeite virgem extra e abacates, e inclui uma grande quantidade de produtos e peixes saudáveis, que oferecem ácidos graxos ômega-3. Comer desta forma e evitando açúcar e conservantes preenchido alimentos pode ser significativo na redução da inflamação geral e apoiar a digestão saudável, o que torna a tireóide mais eficiente e menos suscetível a gatilhos auto-imunes.


Uma última palavra sobre a doença da tireóide


As doenças da tireóide são muito graves, e pode desempenhar um papel importante na sua saúde geral. Impedindo-os de ocorrência e tratá-los o mais rápido possível é incrivelmente importante. Sempre certifique-se consultar com seu médico se você suspeitar que uma condição da tireóide está presente ou se você tiver razões para acreditar que você está em risco para eles, como uma história familiar. Como assim, seguindo um estilo de vida saudável e da adoção de um plano de boa nutrição pode ter um grande impacto na prevenção, bem como, e vale a pena pagar a atenção para a longo prazo bem-estar.

 
Copyright © 2014 Tópico de Saúde. Designed by OddThemes | Distributed By Gooyaabi Templates